Ouça agora a Webrádio VGS

Farmácia São José

Milly: Felipão é o cara da maior vergonha do futebol e passou ao largo

O Grêmio está há 22 rodadas na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e vive um momento de tensão após discussões no vestiário e até sugestões de jogadores para que o técnico Luiz Felipe Scolari mude a forma de jogar do time, tudo isso em um elenco de atletas como Douglas Costa, Rafinha e Diego Souza, enquanto o treinador se vê questionado pelo trabalho realizado no clube onde é ídolo.

No UOL News Esporte, Milly Lacombe afirma que o Grêmio está mostrando a falta de uma atualização do técnico e cita a participação dele no 7 a 1, ressaltando que ele passou ao largo do vexame da Copa do Mundo de 2014, o que provavelmente seria diferente em se tratando de um negro ou uma mulher.

“O Felipão tem uma carreira vitoriosa, todo mundo sabe, mas o Felipão é o cara do 7 a 1, o Felipão é um cara da maior vergonha da história do nosso futebol e ele passou ao largo disso. Eu acho que 1950 encontraram o goleiro negro como culpado pelo que foi considerado um vexame e é uma covardia, porque o Barbosa não teve culpa de nada ali, mas o Felipão tem e ele nunca foi devidamente criticado por isso”, diz Milly.

“Como assim ele continua mantendo o prestígio sempre? Tem alguma coisa equivocada ali, tem alguma coisa que não rola mais, tem uma atualização que não foi feita e agora no Grêmio isso está ficando claro. Contra o Flamengo ele arrumou o time ali porque ele queria aquele jogo e foi realmente um Felipão à moda antiga, mas a gente precisa falar do 7 a 1, não dá para esquecer. É um marco, uma tragédia, uma vergonha, um deboche, poderia ter sido 11 a 1, aquilo foi um passeio, e o Felipão como se nada fosse. Se o Felipão fosse um homem negro ou uma mulher, ele estaria em praça sendo crucificado”, completa.

Trajano concorda com o comentário de Milly Lacombe e vê a imprensa aliviando para o treinador enquanto mesmo outros técnicos que dirigiram grandes clubes e a seleção brasileira costumam ser criticados.

“Me dá a impressão que a imprensa brasileira esportiva tem o mesmo físico do Felipão, é uma coisa meio estranha falar isso. A análise da Milly foi perfeita, passou ao largo, o Felipão passou ao largo do 7 a 1 e se fosse mulher ou negro, aliás, não foi só o Barbosa crucificado, ele foi o maior crucificado, mas Juvenal e Bigode, também negros, sofreram também por causa da derrota de 1950”, diz Trajano.

“É um técnico ultrapassado, passou ao largo do 7 a 1 e tem essa coisa, a imprensa parece ter medo, receio de criticar o Felipão e o que ele está fazendo no Grêmio é um grande vexame. O Luxemburgo apanha, o Mano Menezes apanha, o Joel Santana apanhava, todo mundo apanha, só quem não apanha é o Felipão”, conclui.

Fonte: UOL Esportes

Exata Contabilidade Fita
Publicidade
Exata Contabilidade GIF
Publicidade
Webrádio

Confira também:

Publicidade
Exata Contabilidade GIF
Publicidade
Webrádio